Capoeira Brasília, DF

Capoeira em Brasília. Encontre telefones, endereços e informações sobre Capoeira em Brasília e região. Aproveite e leia o artigo abaixo sobre Capoeira para obter dicas e informações sobre o assunto.

Academia Nadarte
(61) 3443-5078
SGAS 905 cj B
Brasília, DF
 
Associação Moy Yat de Ving Tsun
(61) 3346-6407
CLS 112 BL C s 17
Brasília, DF
 
Work Out
(61) 3326-4976
CLN 203 BL A lj 26 ss 26
Brasília, DF
 
Academia Status Fit Center
(61) 3202-2034
CLN 106 BL D en 50
Brasília, DF
 
Curves Academia
(61) 3201-5570
SCLRN 712 BL D lj 61
Brasília, DF
 
Academia Premium
(61) 3349-0646
SGAN 606, - Asa Norte
Brasília, DF
 
Academia Bbf
(61) 3345-6091
CLS 211 BL A lj 9
Brasília, DF
 
Academia Tribus
(61) 3346-2163
CLS 111 BL D lt 35
Brasília, DF
 
Formação Atividade Física
(61) 4102-1220
CLN 315 BL E lj 44
Brasília, DF
 
Academia Scala
(61) 3272-3445
SGAN 910 md F
Brasília, DF
 

Como surgiu a capoeira

Patrimônio nacional da cultura brasileira, a capoeira tornou-se um símbolo de expressão corporal e artística capaz de mesclar, em seus golpes e gingas, arte-marcial, música, esporte e cultura popular.Mesmo que se diga abertamente que a capoeira originou-se no Brasil, os dados históricos apontam para outra versão. O que se pode concretamente afirmar é que a capoeira foi desenvolvida em terras brasileiras principalmente pelos descendentes dos escravos vindos da África Ocidental, traficados para a execução de trabalhos brutos e sem qualquer tipo de remuneração. Via FlickrOrigem da CapoeiraNa história da humanidade, a escravidão foi a pior das práticas feita pelo próprio homem para com seus semelhantes. Os colonos e burgueses, sedentos por ouro e crescimento econômico não mediram esforços e encontraram uma maneira vantajosa e lucrativa de conquistar e construir seus impérios forçando os povos da África, carentes de qualquer tipo de poder, a trabalhos exaustivos e cruéis, tudo em função do acumulo de riqueza.Os escravos eram trancafiados dentro de senzalas e viviam isolados do convívio social; só podiam ter contato com pessoas de sua própria etnia. Porém, mesmo com tanta injustiça e sofrendo tantos castigos físicos por parte de seus senhores, os escravos sempre cultivaram uma alegria interior e preservaram suas heranças, histórias e a cultura de seu continente de origem, a África.Por volta do século XVI, os escravos encontraram uma forma prática de expressar toda a alegria que possuíam mas que o poder vigente na época insistia em lhes oprimir. Não tardou muito e eles criaram uma espécie de dança que mostrava toda a sua força, agilidade, destreza e desejo de liberdade sem utilizar armas de fogo. Desta forma se originou a capoeira, que muitos dizem ser brasileira, porém a história a considera uma herança vinda da África para o Brasil. Via FlickrResistência e Cultura Muitos escravos conseguiam fugir das senzalas e dos maus tratos por parte dos senhores feudais. Os locais onde se refugiavam eram chamados de quilombos e até hoje existem comunidades quilombolas em terras brasileiras principalmente nas cidades do interior de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.Nestes locais, os ex-escravos possuíam a liberdade mínima de expressar sua cultura e se libertar do poder opressivo que até então estavam condicionados. Nos quilombos a capoeira criou forças e com o final da escravidão, em 1888, ela ganhou mais espaço e notoriedade. Porém, por muitos anos, foi utilizada como prática de violência e matança, chegando a ser proibida oficialmente em todas as regiões do país.Séculos e décadas depois, a capoeira foi sendo incorporada aos poucos no cotidiano das pessoas não como luta, mas como expressão cultural dos povos africanos. Esta prática foi desenvolvida no Brasil sendo que atualmente a capoeira é utilizada para demonstrar ao mundo um pouco da herança brasileira em termos de arte e história, conquistando cada vez mais adeptos e praticantes.Hoje em dia, não somente os descendentes de escravos e negros praticam a capoeira, como também pessoas de pele branca e de origens europeias, crianças, jovens e adultos, todos juntos em uma verdadeira roda multirracial unindo forças e valores a fim de manter viva a única esperança de um povo que sofreu durante décadas simplesmente por não ter a pele tão branca quanto a população restante da humanidade. Via FlickrEm festas típicas, colégios, academias ou locais específicos a capoeira é passada às novas gerações não com a intenção de retratar a dor do povo africano, que foi escravizado em terras brasileiras, mas sim, como expressão de força e resistência a todo e qualquer tipo de preconceito que possa existir no coração dos homens, vencendo o ódio e a maldade somente com a dança e a alegria que são as principais características da capoeira desde a sua criação.